As férias de verão vêm chegando, e com elas o planejamento da tão esperada viagem, seja ela internacional, para a praia ou interior. Segundo estimativa do Ministério do Turismo, para o verão 2018/2019 a previsão era de que ocorreriam 75,5 milhões de viagens entre dezembro de 2018 até fevereiro de 2019. E tudo indica que as férias 2019/2020 sejam ainda melhores, influenciadas pelo aquecimento da economia. 

No geral, o desejo por viagens em 2019 tende a ser grande, conforme o estudo “10 Principais Tendências Globais de Consumo 2019, lançado pelo Euromonitor International, consultoria global de pesquisa e inteligência estratégica de mercado. Entre as tendências de viagens, estão as experimentais, ou até mesmo o “ano sabático”, além de roteiros mais personalizados, como viagens de transformação interna, que tragam um valor agregado de experiência de vida, o que gera uma ótima oportunidade para as agências de viagens.

DESTINOS MAIS PROCURADOS, ACOMODAÇÃO E VALORES  

O Airbnb, site de hospedagens, divulgou uma lista com os 20 destinos mais procurados para viajar em 2020. O levantamento foi realizado de acordo com o número de reservas feitas pela empresa até setembro deste ano para 2020, em comparação com as reservas até setembro de 2018 para 2019. Com um catálogo repleto de opções para seus clientes, um dos destinos brasileiros que se destaca na pesquisa é a cidade de Ubatuba, localizada no litoral paulista.

Milwaukee, nos Estados Unidos, lidera a lista de destinos mais procurados, com aumento anual de 729% de procura no site. Considerado um lugar histórico às margens do Lago Michigan, o local possui uma área incrível de bares, restaurantes e atrações culturais que incluem um museu de arte projetado pelo arquiteto Santiago Calatrava. Em segundo lugar está Bilbao, na Espanha, aumento anual de 402% de procura. A cidade que abriga o Museu Guggenheim projetado por Frank Gehry, é o destino certo para quem gosta de admirar uma bela arquitetura. Bilbao também possui uma cena gastronômica admirável e saborosa. E, em terceiro lugar, está Buriram, na Tailândia, com aumento anual de 383% na procura. Buriram possui ruínas antigas que chamam grande atenção dos turistas que passam por lá.

Na sequência aparecem Sunbury, na Austrália (356%), Romênia (298%), Xi’an, China (255%), Eugene, nos Estados Unidos (213%), Luxemburgo (167%), Guadalajara, no México (158%), Vanuatu (140%), Cali, na Colômbia (137%), Cabo Canaveral, nos Estados Unidos (136%), Aberdeen, na Escócia (119%), Courtenay, no Canadá (114%), Ubatuba, em São Paulo (108%), Les Contamines-Montjoie, França (108%), Tóquio, no Japão (103%), Kerala, Índia (95%), Malindi, Quênia (88%) e Maastricht, na Holanda (55%).

Para descobrir as tendências de viagens dos brasileiros, a Skyscanner, site de busca por promoções em passagens aéreas, hotéis e aluguéis de carros, realizou uma pesquisa com 2 mil pessoas, e mostra que 61% dos brasileiros entrevistados pretendem viajar nas férias de verão. Seguindo a tendência, viajar para a praia é o destino escolhido pela maioria, representando 45,1%. Apenas 6% buscam destinos para fugir do calor, e 5,3% pretendem ir para o campo ou o interior.

Na escolha pela acomodação no período de férias, os hotéis ainda são os preferidos, com 45,8%. As outras formas de acomodação são casas de amigos e familiares (20%), casa de aluguel (18%) ou hostel (15%). Mesmo viajando, o brasileiro busca economizar nos gastos diários. Mais de 38% esperam gastar entre R$ 51 e R$ 100 diariamente, 37% entre R$ 101 e R$ 300, e apenas 11,3% pretendem desembolsar R$ 500 ou mais por dia.

De acordo com a mesma pesquisa realizada pela Skyscanner, a principal fonte de pesquisa para decidir o destino das férias é a internet (37%). Já para 23% dos entrevistados, a fonte é a opinião/recomendação de amigos.

PRINCIPAIS FRAUDES

Em uma série de reportagens sobre fraudes realizada pelo portal Panrotas, constatou-se que o turismo é protagonista na tendência de fraudes, principalmente o ramo da aviação, que representa 46% de todos os golpes/fraudes que acontecem no mundo. E o Brasil, como já sabemos, é o país líder em fraudes, principalmente o phising, técnica muito utilizada também no turismo. A segunda posição no ranking das fraudes é a clonagem de cartões de crédito.

Conforme Marco Di Ruzze, vice-presidente da BRT Consolidadora e Operadora,

 “o principal alvo disso, e onde acontece a gigantesca maioria dos casos, são as agências de viagens, primeiro passo da compra do viajante. Elas [agências], muitas vezes, só pegam o número do cartão, a data de validade e senha de segurança e mandam para o banco. Se eles falarem que o crédito é suficiente para a compra, pronto, vende! Sem pedir mais dados que comprovem a autenticidade do viajante. Para ter uma ideia do nível disso, 75% dos calotes que levamos são fraudes, pagamentos com cartões clonados que as agências aceitaram sem conferir. O dinheiro nunca chega”, conclui Di Ruzze.

No mesmo relatório, em colaboração com a Skyteam, BRT, Sakuratur e Esferatur, buscou-se avaliar as tendências na realização de fraudes. E o resultado foi:

  •   Proximidade do embarque

A compra de passagens muito próximo da data de embarque deve servir de alerta para as agências/cias aéreas, já que elas são mais difíceis de serem descobertas. Isso porque, na maioria das vezes, o pagamento em um golpe é feito por um cartão de crédito clonado, ou seja, seu proprietário verdadeiro possivelmente só descobrirá a compra que não é sua no momento da fatura, o que pode levar até um mês.

O que acontece é que o dinheiro nunca chega a cair na conta da companhia. A pequena antecedência do voo faz com que o verdadeiro portador do cartão de crédito não perceba a compra de forma a cancelá-la antes do trajeto acontecer. “Quando a empresa aérea notar que o dinheiro não veio, o passageiro com a passagem fraudada já terá chegado ao destino”, descreve o gerente de Relacionamento da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) com a Indústria no Brasil, Jefferson Simões.

  •   Rotas sem relação com local da compra

O passageiro é do Rio de Janeiro, mas está comprando passagens numa agência de viagens de São Paulo. Fique de olho, tem cara de golpe! O fraudador se vale do benefício de não necessitar estar presencialmente na agência para realizar uma compra, e adquire a passagem de empresas em Estados distantes do País.

  •       Categorias elevadas

Os fraudadores costumam comprar passagens com valor agregado, como de primeira classe ou executiva, assim, o valor embolsado é maior. Um dos fatores que faz tal perda ser tão significativa é exatamente a média dos preços das passagens fraudadas: US$ 1,9 mil, na América Latina; em comparação, um bilhete legítimo sai a US$ 606 no continente, menos de um terço daquele valor, revelou o diretor da Iata, (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

  •   Clientes desconhecidos e poucas informações

O fraudador geralmente é um cliente novo na agência e, por isso, a empresa não tem muitos dados e histórico de compras. De acordo com Marco Di Ruzze, da BRT, é comum que o fraudador ligue para uma agência citando uma indicação qualquer, como meio de passar maior veracidade. “Você acha que está em segurança, mas o verdadeiro titular do cartão nega o débito e logo chega o chargeback através do seu consolidador”, explica o executivo.

SOLUÇÕES DA EMAILAGE

A data é propícia para o aumento de fraudes no turismo, já que a venda de passagens cresce consideravelmente. Por isso, a prevenção é fundamental, e deve ser ágil e certeira.

Por ser líder global em análise de endereços de e-mail para avaliação de risco de fraude on-line, podemos oferecer o melhor modo de mantê-lo seguro. Utilizando Inteligência Artificial combinada com análise do nosso banco de dados, conseguimos detectar tentativas de fraude já no seu primeiro estágio e em tempo real.

Com as soluções Rapid Risk Score, Email Risk Score, Digital Identity Score. possuímos um volume de até 400 transações por segundo. O tempo médio de resposta é de 30 milissegundos. Possuímos diversas variáveis-chave para entregar, uma análise de risco de fraude baseada no e-mail, IP, endereço de cobrança, endereço de envio, telefone, ID dos dispositivos e dados da transação 

Trabalhamos com empresas líderes no mercado mundial, dentre elas as cinco principais empresas de transferência de dinheiro, as três principais fabricantes de PCs, cinco dos seis principais bancos, e quatro das cinco maiores empresas de emissão de bilhetes, entre outras. As empresas que têm melhores análises de risco de fraude e melhores dados sobre como tomar as melhores decisões terão vantagem competitiva.

Fale conosco e esteja preparado e protegido para essa época do ano!